Como equilibrar interesses artísticos e comerciais
no presente?

Num mercado tão específico como é o português, a relação das marcas com a música é uma realidade premente e incontornável, geradora de incríveis oportunidades, mas igualmente potenciadora de possíveis tensões. Como se harmonizam os diferentes interesses de marcas, artistas e produtores?
Um debate que importa ter de forma franca, sobretudo no terreno das músicas electrónicas onde essas relações têm rendido férteis resultados.

Lisboa é um dos mais vibrantes destinos atuais, ideia reiterada por inúmeros artigos na imprensa especializada e realidade facilmente comprovável por quem circula na cidade. Os festivais de música e outros eventos culturais têm, obviamente, um papel importante na captação das atenções de quem elege Lisboa como destino das suas férias. Estarão esses eventos a ser pensados nessa perspectiva?

Como é que Lisboa é vista de fora?

A vibrante cena musical lisboeta e a oferta em termos de festivais têm convidado a atenção de muitos pensadores internacionais sobre a nossa cidade. Por outro lado, Lisboa apresenta suficientes atrativos para seduzir muitas mentes criativas, artistas e outros agentes da indústria que têm eleito esta cidade como base para o seu trabalho.